27 jun

Dicionario

Barman = é uma palavra inglesa, quer dizer homem do bar (especificamente para o sexo masculino), e se refere ao profissional que trabalha em estabelecimentos servindo bebidas alcoólicas aos seus clientes, mais frequentemente em bares. Não há registros da origem desta função, mas acredita-se que a profissão de barman seja muito antiga e que remonte ao tempo das tavernas. Em 1950 foi criada a Internacional Bartenders Association (IBA), que estabelece normas de conduta à categoria. Bar girl ou Barwoman = mulher do bar, a profissional do bar, do sexo feminino. Bartender = o termo bartender se refere tanto para o homem ou para a mulher, ou seja, os profissionais do bar. Barback = ajudante de bar, repositor de bebidas, faz a limpeza do ambiente e outras atividades relacionadas ao bar, um ajudante do barman. Barman de festas e eventos = é o profissional freelance que trabalha a domicilio, ou seja, levando seu bar móvel com as bebidas e tudo mais a casa, salão ou ao espaço do contratante. Atuam geralmente em boates, baladas, shows, casas noturnas e festas/eventos em geral. Pode se contratar apenas sua mão de obra ou o pacote completo (bar completo), a combinar. Barista = Muito confundido com o Barman ou atendente de balcão de bar, mas na verdade é o profissional tecnicamente habilitado para preparar e servir café e bebidas a base de café, sendo o expresso o seu principal objetivo.

Open bar (de festas/eventos) = Bar aberto a todos, ou seja, bar onde as bebida estão liberadas a todos os presentes da festa ou do evento. Pirofagia = É todo trabalho artístico feito com fogo, onde geralmente envolve a boca e pele do executante. Exemplo: cuspir fogo, passar fogo no corpo sem se queimar, apagar o fogo com a boca, etc. Envolve muita técnica, concentração e pitadas de ilusão. Pirotecnia = Muito confundido com pirofagia, mas na verdade é a arte ou trabalho artístico com fogos de artifícios.

Working Flair = (Serviço cobrado a parte pelos Bartenders que o executam) significa o Barman trabalhando como flair, ou seja, são manobras de malabarismos feitos com os matérias de bar enquanto se prepara um drink ou um coquetel. Geralmente são feitos com garrafas e coqueteleiras. Exibition Flair (Flair de exibição) = Manobras e/ou malabarismos feitos com garrafa(s) e coqueteleira(s) ou outros matérias de bar, somente com a intenção de exibição, ou seja, neste caso não existe a intenção do preparo do drink. Essa arte atinge grande popularidade e já existem diversos torneios ao redor do mundo que premiam os melhores desempenhos.

Coquetel = Um coquetel (originalmente grafado cocktail, o que significa literalmente “rabo-de-galo” em inglês) é feito na coqueteleira e combina duas ou mais bebidas, alcoólicas ou não, no qual costumam ser adicionados gelos, frutas, refrigerantes, creme de leite, leite condensado, açúcar etc. É geralmente caracterizado por ser uma bebida mais leitosa, diferenciando-se do drink propriamente dito.

Nos anos 30, a população norte-americana sofria os efeitos da crise econômica de 1929 dentre eles, o desemprego. Com a autoestima afetada, a população abusava de medicamentos e do álcool, o que elevou a taxa de suicídios e trouxe sérios problemas à saúde pública. Com isso, o governo norte-americano implantou uma medida intitulada “Lei Seca” que proibia a produção, o comércio, e por fim, o consumo de toda e qualquer bebida alcoólica dentro do país. Essa medida tornou-se uma lei.

Contudo, o consumo de álcool não cessou. O negócio das bebidas ilegais foi parar nas mãos da Máfia que contrabandeava e comercializava a mercadoria ilegal utilizando-se de sua forte imponência social, poder de fogo, privilégios políticos e por meio de corrupção policial.

Nessa época, os bares ilegais eram montados em porões secretos e barrados por portas de aço. Nesses locais, conhecidos como “speak case” (“falem baixo”), a bebida era vendida livremente. Um homem de confiança da Máfia era o homem do bar, responsável pelas preciosas bebidas e também pelo sigilo e segurança econômica do bar. Além de toda responsabilidade organizacional, o barman era um jogador, elegante e discreto, além de precisar de raciocínio rápido e criatividade. Conta-se que em certa batida policial a um desses porões, o barman, antecipando-se à chegada dos oficiais, adicionou uma porção de suco de laranja aos copos de vodka que estavam sendo servidos naquela noite. Uma vez que lhe perguntam do que se tratava a bebida de cor amarela ele responde convictamente: suco de laranja! Ele não só salvava seu bar, mas também dava origem ao que hoje conhecemos como coquetelaria.

O Barman Clássico Ele conhece a origem das bebidas, sua composição, suas propriedades, sua história, suas características, seus efeitos no organismo e seu infinito potencial gastronômico. Sabe como preparar os diversos coquetéis internacionais e criar suas próprias receitas, bem como decorá-las e oferecê-las. São geralmente profissionais com mais tempo no segmento e lideram a brigada operacional do bar. Trabalham em trajes sociais, e frequentemente falam mais de um idioma, o que os favorece em uma carreira internacional, por também se adequarem aos formatos de restaurantes de alta gastronomia, hotéis internacionais, “pubs”, “piano bar” e navios de cruzeiro.

O Bartender Free Style Geralmente agregar habilidades a essa imagem. Hoje em dia, os bartenders treinam malabarismo, pirofagia, acrobacia, e mágica. Dentre essas habilidades, o malabarismo com as garrafas, ou flair, atinge grande popularidade e já existem diversos torneios ao redor do mundo que premiam os melhores desempenhos. Hoje em dia além do Flair, muitos têm extenso conhecimento em coquetelaria (não sendo uma regra), bem como servir de forma dinâmica as bebidas de domínio público jovem como a vodka ice e os energéticos. Vestem-se de forma a agradar ou impressionar o público alvo da casa, usando boinas, faixas, pulseiras e penteados modernos. Trabalham geralmente em boates, baladas, shows, casas noturnas e eventos em geral.